Google+ Governo de São Paulo acaba com radar móvel nas estradas - Rabiscos de Deus - Romance de Aluisio Nogueira

domingo, 21 de julho de 2013

Governo de São Paulo acaba com radar móvel nas estradas

Boa notícia!
     
Contrato das empresas que operavam os aparelhos venceu e não será renovado; ao todo são 114 equipamentos em rodovias estaduais

O Departamento de Estradas de Rodagem (DER) vai acabar com os radares portáteis de solo, conhecidos como radares móveis, nas rodovias do Estado de São Paulo. Ao todo, são 114 equipamentos.
Os contratos com as empresas que operavam 42 radares desse tipo, tecnicamente denominados estáticos, venceram entre janeiro e maio deste ano e não foram renovados. As concessionárias de rodovias estaduais operam outros 72 radares estáticos, mas os aparelhos estão sendo retirados de uso.

As novas licitações do DER não preveem a contratação de radares portáteis de solo. Uma delas, em fase de julgamento, tem como objeto a contratação de 425 radares fixos, dos quais 114 serão do tipo lombada eletrônica, com registro digital da velocidade. De acordo com o superintendente do DER, Clodoaldo Pelissioni, o objetivo é dar total transparência à fiscalização nas rodovias.
Conforme a assessoria de imprensa do DER, a retirada dos radares estáticos não prejudica a fiscalização da velocidade nas rodovias porque a Polícia Rodoviária Estadual recebeu 100 novos equipamentos de uso manual - que ficam na viatura policial. Parte desses radares está equipada com dispositivos de leitura automática de placas.

Medida. O radar estático é instalado sobre suporte e colocado atrás de muretas e defensas, quase sempre fora da visão do motorista. As empresas alegam medida de segurança, já que em lugar aberto o aparelho e seu operador ficam desprotegidos em caso de acidente.

Uma resolução do Conselho Nacional de Trânsito (Contran) determina que os equipamentos de fiscalização estejam visíveis. A resolução 239 é de dezembro de 2011, mas passou a ser adotada como regra depois que a Justiça anulou multas aplicadas por radares ocultos.

As concessionárias de rodovias também foram obrigadas a tornar visíveis os radares fixos instalados na estrutura de viadutos, pontilhões e passarelas de pedestres. De acordo com a Agência de Transportes do Estado de São Paulo (Artesp), as empresas já se adequaram à nova regra. Os equipamentos foram remanejados para postes metálicos à beira da pista.


     

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Parceiros - Divulgadores - Blogs Femininos

Os melhores links FEMININOS Colmeia: O melhor dos blogs Tedioso: Os melhores links Linkerama: Os melhores blogs da Internet estão aqui! Seus links em um só lugar! Fake - O agregador de links mais Original da Net EuTeSalvo - Salvando os melhores blogs! Tecnogospel: Os melhores links evangélicos Clic+ Os Melhores Links da Internet para Você LinkLog Linka Blog Está no seu momento de descanso né? Entao clique aqui!
Permissões

Você está autorizado a reproduzir e divulgar este material em qualquer formato, desde que informe o autor e a fonte, inclusive o nosso blog, sem alterar o conteúdo da matéria original e não utilizar para fins comerciais.

Importante

As opiniões e noticiais aqui divulgadas não refletem necessariamente nossa opinião. Por essa razão, as matérias polêmicas acompanham nossa opinião ao final da matéria. Nós divulgamos as notícias de forma imparcial, com o objetivo de que o leitor tire suas conclusões, porém, deixamos clara nossa posição pelo Genuíno Evangelho de Cristo.

Liberdade de Expressão

É importante esclarecer que este BLOG, em plena vigência do Estado Democrático de Direito, exercita-se das prerrogativas constantes dos incisos IV e IX, do artigo 5º, da Constituição Federal. Relembrando os referidos textos constitucionais, verifica-se: “é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato" (inciso IV) e "é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença" (inciso IX). Além disso, cabe salientar que a proteção legal de nosso trabalho também se constata na análise mais acurada do inciso VI, do mesmo artigo em comento, quando sentencia que "é inviolável a liberdade de consciência e de crença". Tendo sido explicitada, faz-se necessário, ainda, esclarecer que as menções, aferições, ou até mesmo as aparentes críticas que, porventura, se façam a respeito de doutrinas das mais diversas crenças, situam-se e estão adstritas tão somente ao campo da "argumentação", ou seja, são abordagens que se limitam puramente às questões teológicas e doutrinárias. Assim sendo, não há que se falar em difamação, crime contra a honra de quem quer que seja, ressaltando-se, inclusive, que tais discussões não estão voltadas para a pessoa, mas para idéias e doutrinas.tais discussões não estão voltadas para a pessoa, mas para idéias e doutrinas.

Seguir

assine o feed

siga no Twitter

Postagens

acompanhe

Comentários

comente também

Recomendamos